Animais fazem bem à saúde!

sexta-feira, agosto 12

Inverno exige cuidados com a pele e cabelos


Especialista do Iamspe alerta para ocorrência de irritação, alergia e coceira causadas pela falta de hidratação.
Os cuidados para evitar o ressecamento da pele e do cabelo no verão devem continuar a fazer parte da rotina diária no inverno. Nessa estação, a umidade do ar é menor e favorece a quebra da barreira cutânea, camada da pele formada por queratina (proteína impermeabilizante) e responsável pelo equilíbrio físico/imunológico e hidratação. A temperatura baixa também é prejudicial para a barreira cutânea.

“No inverno, o ressecamento ocorre devido aos banhos quentes e demorados com o uso excessivo de sabonetes alcalinos”, explica o médico do Serviço de Dermatologia do Hospital do Servidor Público Estadual, Mario Cezar Pires. “Assim como nos preocupamos com os dentes, escovando-os diariamente, a pele e os cabelos também merecem cuidados”, acrescenta.

O especialista observa que são comuns as queixas de irritações, alergias e coceiras devido ao ressecamento - ao contrário do verão, que propicia ao aparecimento de micoses, herpes, viroses, bicho geográfico e outras doenças de pele.

O médico recomenda que os banhos sejam menos demorados, com água morna e sabonetes líquidos em pouca quantidade. O mesmo vale para os xampus que devem ter pH ácido, entre 5 e 6, próximo do pH natural da pele. Também é importante usar sempre um bom hidratante de pele e cabelos após o banho.

No caso das crianças e dos idosos, os cuidados com a pele devem ser maiores, adverte o especialista, por apresentarem maior facilidade de quebra da barreira cutânea, estando portanto mais propensos aos problemas de pele.

Segundo Mario Cezar, a alimentação interfere pouco na prevenção desses problemas mas a ingestão de água deve ser sempre adequada para o bom funcionamento do organismo.

Estudo realizado nos Estados Unidos revela que 1 em cada 4 idosos tem uma superbactéria na mão após internação hospitalar


O alto nível de superbactérias nas mãos do paciente aumenta a chance de transmissão a outros pacientes frágeis e, também, aos profissionais de saúde. Depois da hospitalização, parte dos idosos carrega as bactérias para outros lugares.

Um estudo, publicado no JAMA Internal Medicine (periódico publicado pela American Medical Association, nos Estados Unidos), mapeou 357 idosos depois de uma internação e descobriu que grande parte deles tem nas mãos bactérias resistentes à maioria dos antibióticos. 

O estudo focou nos pacientes que foram recentemente admitidos no hospital para um problema médico ou cirúrgico e, depois, temporariamente, precisaram de cuidados médicos em uma unidade de reabilitação, antes de voltarem para casa. 


Superbactérias 

A equipe estudou idosos que foram admitidos em várias unidades de recuperação na região sudeste de Michigan assim que deixaram o hospital. Um quarto desses pacientes (24,1%) tinham pelo menos uma bactéria multirresistente (MDRO), ou superbactéria, em suas mãos quando chegaram. 

Os investigadores testaram as mãos dos mesmos pacientes após duas semanas e depois mensalmente, por até seis meses ou até a sua alta. Durante esse acompanhamento, eles descobriram não só que esses organismos persistem, mas que mais idosos adquirem superbactérias em suas mãos. O índice saltou de 24,1% para 34,2%, ou seja um em cada três pacientes. 

“Nós temos educado os profissionais de saúde por décadas sobre a higiene das mãos, e estes números mostram que é hora de incluir os pacientes nesse processo educativo de higiene das próprias mãos”, diz a principal autora do estudo, Lona Mody (foto), da Escola de Medicina da Universidade de Michigan. 

A pesquisadora explica que um alto nível de superbactérias nas mãos do paciente aumenta a chance de transmissão a outros pacientes frágeis e profissionais de saúde. O uso de antibióticos é frequente em pacientes em recuperação e, por isso, certas estirpes de bactérias infecciosas evoluem e se tornam resistentes ao tratamento com as drogas – o que as tornam ainda mais perigosas. 

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) publicou um novo relatório este mês em infecções hospitalares, incluindo as superbactérias, e pediu um maior esforço para prevenir sua propagação. 


Mudança de cultura 

Mody observa que os atuais pacientes idosos querem ser ativos, muito mais do que no passado. Muitas vezes, eles optam por ficar em instalações que oferecem atividades em grupo e eventos sociais. No entanto, quando deixam seu quarto, eles estão mais propensos a tocar outras áreas da instalação, o que os colocam em alto risco de adquirir novas superbactérias. 

Esse número crescente de idosos com as superbactérias hospitalares indica que novas políticas e inovações são necessárias para interromper sua disseminação, especialmente nas unidades de reabilitação. 

Uma outra estratégia é levar as pessoas ao laboratório e mostrar fisicamente as superbactérias que crescem nas mãos. “As pessoas sempre se surpreendem quando veem o que pode crescer em suas mãos e como elas podem eliminar esses organismos, com eficiência, simplesmente lavando-as adequadamente”, diz Mody.

Jornalista formada pela Universidade de Michigan (EUA) e pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho / UNESP, é Produtora de Conteúdo do Michigan News (Serviço de Notícias em Português da Universidade de Michigan) e colunista convidada do Portal Terceira Idade.

terça-feira, agosto 9

‘Estação Ativamente’ ajuda a estimulação mental e física de idosos


Utilizando jogos computadorizados de alta tecnologia adaptados para a terceira idade, as atividades do projeto proporcionam maior interação social, maior independência e autonomia e prevenção de declínio funcional e da memória

A geração atual nascida no universo de ícones, imagens, botões e teclas – transita com desenvoltura nesta cena visionária de quase ficção científica. Mas a outra, nascida em tempos de relativa estabilidade, convive de forma conflituosa com as rápidas e complexas mudanças tecnológicas, cuja progressão é geométrica. 

Por isso, para promover a inclusão das pessoas idosas no contexto do mundo tecnológico e digital, deve-se levar em conta a sua linguagem, sua história de vida, sua saúde mental, emocional e física, entre outras singularidades. 

Estação Ativamente 


Baseando-se neste contexto, foi desenvolvido o programa intitulado “Estação Ativamente”, cuja iniciativa é inédita e pioneira no Brasil – pioneira também quando comparado a países desenvolvidos. 

A Estação Ativamente, da qual sou coordenadora científica – e que conta com o auxílio de monitores formados pela Universidade de São Paulo (USP), além do apoio da Secretaria de Assistência e Inclusão Social da Prefeitura de São Caetano do Sul –, é um programa voltado para indivíduos com idade de 60 anos ou mais, que visa a estimulação das habilidades cognitivas, físicas e de humor do indivíduo idoso, proporcionando maior interação social, maior independência e autonomia e prevenção de declínio funcional e da memória através de equipamentos e jogos eletrônicos importados e de alta tecnologia. 

Melhora do desempenho cognitivo 

Testes realizados com um grupo de 240 idosos saudáveis com 60 anos e mais, no início do projeto, mostraram que houve ganhos significativos no desempenho de linguagem e em orientação temporal, quando comparados ao inicio de sua participação. O que pode sugerir que os mesmos ficaram mais orientados quanto às datas, e mais rápidos na busca semântica, apresentando benefícios em habilidades de memória verbal e velocidade de processamento para materiais verbais. 

A participação no Programa Estação Ativamente possibilitou aos idosos espaços para o exercício da criatividade, a construção e reconstrução do conhecimento, da troca de saberes, o desenvolvimento do pensamento, a capacidade de memorização, instigando a mente a pensar, memorizar, resolver, a ludicidade e formular problemas. Assim, a aprendizagem de novas tecnologias proporciona aprendizagens novas, levando ao exercício e manutenção de bom desempenho cognitivo nos idosos. 

Equipamentos atendem particularidades da 3ª idade


Todos os equipamentos da Estação Ativamente passaram por adaptações que atendessem as particularidades da terceira idade, como design, som, velocidade de processamento de informações, níveis de dificuldades e acessibilidade apropriados para adultos e idosos. Toda metodologia do programa é passada a monitores por profissionais especializados da área da Gerontologia. 

Periodicamente, esses profissionais fazem visitas e debates com os monitores para analisarem os resultados do programa, que oferece equipamentos para atividades como dança, treinamento de atenção visual, treinamento em funções executivas, treinamento da memória, atividades cooperativas, entretimento e estações de computadores com jogos cognitivos. 

Mente ativa 

Alguns idosos, ao ingressarem no Projeto Estação Ativamente, afirmavam que não aprenderiam e que teríamos que ter muita paciência, tinham também muitas expectativas que, com o passar do tempo, foram sendo supridas. 

Oddete Alzira Mansini Chies, 81 anos, uma das alunas do projeto, inscreveu-se no projeto por acreditar que seria uma atividade boa para manter sua mente ativa. “Se você não tem memória, não pode fazer nada. As aulas são ótimas e muito alegres”, enfatizou, contente, a aluna.



Mestre e Doutoranda em Neurologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e Presidente da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG), é Coordenadora Científica do Projeto Estação Ativamente

Paz e Luz!

Dor Lombar Feminina: Maiores Causas



Fique por dentro dos fatores que contribuem para danificar a coluna vertebral das mulheres e descubra já quais são as maiores causas de dor lombar feminina

Fatores externos e internos danificam a coluna vertebral das mulheres. Alexandre Elias, membro do Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional do Hospital 9 de Julho (SP), nos mostra como isso acontece.

Cinco dicas para afinar o sangue e melhorar a circulação!


Saiba que hábitos devem entrar na sua rotina para evitar doenças cardiovasculares

1. Aposte nas frutas acerola, laranja, goiaba, amora e morango, pois contêm vitamina C e flavonoides conjuntamente, fortalecendo as paredes dos vasos.

2. Recorra ao ômega-3 contido no salmão e no azeite de linhaça. O elemento é capaz de evitar a formação de coágulos (trombose) e de depósitos de gordura (aterosclerose) no sangue, aumentando sua fluidez e também reduzindo a pressão arterial.

3. Evite o glútenpois, em excesso, pode prejudicar a circulação, especialmente para o cérebro. O glúten está presente nos alimentos à base de trigo, aveia, cevada, malte e centeio. Prefira farinhas de arroz, quinoa ou banana verde e fécula de batata no preparo de pães e bolachas.

4. Beba suco de uva integral. Flavonoides, ácidos fenólicos e resveratrol das sementes e cascas das uvas possuem atividades antioxidantes, que inibem a agregação das plaquetas, assim comoa formação de trombose.

5. Hidrate-se sempre e mantenha longe de você os alimentos industrializados, especialmente os instantâneos (sopas, temperos e lamens). Eles são fontes de gorduras, carboidratos refinados e têm muito sódio na composição.

sábado, agosto 6

Reflexão!


"Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas... Continue, quando todos esperam que desistas. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se detenha"
Madre Tereza de Calcutá

Idosos têm mais problemas de saúde durante o inverno


Manter-se agasalhado e praticar exercícios são orientações dos médicos. Alimentação precisa ter como base proteínas, frutas e verduras.

No inverno crianças e idosos são os que mais sofrem com as baixas temperaturas. Nesta época do ano, de acordo com os especialistas, aumenta o número de problemas respiratórios, lesões e infartos. Entretanto, existem atitudes que podem facilitar a vida, especialmente, dos mais velhos. A presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria no Paraná, Débora Lopes, conversou com o G1 e passou algumas orientações. 

Prevenção

É de extrema importância, segundo a médica, manter-se agasalhado, usar roupas quentes e estar em ambientes bem aquecidos. Ela explica que esse cuidado visa evitar a perda de calor e minimizar o risco de hipotermia. As temperaturas baixas, lembrou Lopes, podem agravar a saúde do idoso, com aumento da pressão e das dores articulares. Além disso, a médica afirmou que é importante tomar as vacinas disponíveis nas Unidades de Saúde, higienizar as mãos e ainda evitar contato com pessoas doentes. Outro aspecto relevante é a exposição ao sol, que incentiva a produção de Vitamina D.

O ideal, lembrou a médica, é evitar ficar exposto ao frio e ao calor intensos. Com baixas temperaturas, as pessoas procuram lareiras, fogão a lenha e aquecedores. É necessário, porém, tomar cuidado com a emissão de monóxido de carbono. O local deve estar aquecido e ventilado, destacou a médica.



Exercícios mais indicados

Lopes enfatizou que a atividade física tem muita importância na terceira idade. Os exercícios resistidos, que são aqueles que exigem força muscular, devem ser praticados com maior frequência. De acordo com a médica, o idoso tem perda de massa muscular e de força. Essa fragilidade leva à queda, que sempre é delicada para quem tem mais de 60 anos. Ainda no sentido de prevenir a queda, os idosos devem trabalhar os exercícios de equilíbrio.

Quando procurar o médico

De acordo com a médica, sempre que houver piora do estado geral de saúde é necessário procurar um especialista. “Por exemplo, o idoso nem sempre vai ter febre, com a pneumonia. Mas se está com tosse, expectoração, falta de ar e não está conseguindo se alimentar é um sinal de alerta, é um sinal de que ele tem que procurar ajuda”, afirmou Débora Lopes.


Doentes crônicos têm mais complicações

No inverno, os doentes crônicos podem ter o quadro agravado. A geriatra explica que as infecções virais e bacterianas, que são comuns neste período do ano, podem piorar a doença de base.

Alimentação

Como em qualquer faixa etária, a alimentação saudável é indispensável. No caso dos idosos, é importante caprichar na ingestão de proteínas, frutas e verduras. A médica orientou a prestar atenção neste aspecto, porque o idoso tende a consumir muito carboidrato, como açúcares, pães e massas, causando uma deficiência em relação a outros nutrientes. Este hábito, de acordo com a médica, pode levar a baixa imunidade.


Deputado quer 50% de desconto em renovação de CNH para idosos


O projeto de Lei, pelo deputado federal Valdir Colatto (PMDB/SC), prevê 50% de desconto para idosos no pagamento das taxas cobradas para renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 
De acordo com Colatto, os motoristas com mais de 60 anos têm gastos com a renovação periódica a cada três anos, enquanto os demais motoristas são obrigados a renovar a cada cinco anos. 
Para Colatto, essa situação coloca os condutores idosos em desvantagem e afronta as garantias estabelecidas pelo Estatuto do Idoso.

Salvador/BA: cartão deixa de valer e idosos devem entrar em ônibus com identidade


Ação Civil Pública questionava determinação do município de usar cartão.

O cartão do idoso no transporte público de Salvador deixará de valer a partir do dia 15, segundo informou nesta sexta-feira (5) a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob). A Defensoria Pública do Estado da Bahia e o Ministério Público Estadual moveram uma Ação Civil Pública contra o uso do cartão e obtiveram sucesso. Com a decisão, os idosos voltam a acessar os ônibus apresentando a identidade.

Todas os 147 mil cartões do SalvadorCard que existem serão invalidados e o idoso precisará somente de um documento de identificação com foto, como determina o Estatuto do Idoso, para ter acesso aos ônibus de Salvador.

A Semob diz em nota que "sempre respeitou o Estatuto do Idoso, uma vez que a emissão do referido cartão sempre foi opcional". Ressalta ainda que a intenção com o cartão do idoso era dar preferência e agilizar o embarque deles nos coletivos.

O Decreto Municipal nº 25.782, de 5 de janeiro de 2015 foi quem deu origem ao cartão de idoso. O cartão era feito gratuitamente e, com ele, os idosos tinham acesso ao ônibus pela catraca.



terça-feira, agosto 2

Onze Cuidados Fundamentais Com o Idoso No Inverno


Quando a temperatura cai, eles correm mais riscos de problemas de saúde e lesões relacionadas ao clima. É importante para o idoso, e aqueles que cuidam deles, tomarem certas precauções”, explica Rubens de Fraga Júnior, geriatra e membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG). Entre os principais riscos à saúde estão: hipotermia (queda da temperatura corporal), imobilidade (ausência de movimentação), infecções (como gripe e pneumonias) e aumento de dores crônicas, como artrites e artroses.

A hipotermia ocorre quando a temperatura corporal cai a menos de 36,8 graus. Seus sintomas mais comuns são fraqueza, fadiga e diminuição do tremor do frio. Em fases mais avançadas, o idoso pode apresentar fala enrolada, perda de consciência e choque.


Em caso de hipotermia, o especialista dá algumas dicas de primeiros-socorros: tire o idoso do frio e retire suas roupas úmidas ou molhadas. Envolva a vítima em mantas e agasalhos para aquecê-la enquanto chama a emergência, se a vítima estiver consciente, ofereça bebidas quentes como chás (não alcoólicas). Converse com a vítima mantendo-a sempre acordada e em caso de parada respiratória e realize manobras de ressuscitação cardiorrespiratória.
Confira 11 dicas para reduzir o impacto do frio na saúde de idosos:



1. Utilize roupas e agasalhos adequados para proteção em ambientes ao ar livre e salas frias.

2. Tome bebidas quentes como chás, chocolate, bem como ingerir sopas e caldos.

3. Os banhos devem ser rápidos e em temperaturas amenas.

4. A hidratação da pele deverá ser hidratantes tópicos para diminuir a sensação de pele seca.

5. Use cobertores que retenham calor, principalmente no período do sono, quando há um declínio da temperatura corporal.

6. Tome as vacinas contra gripe e pneumonias.

7. Busque ajuda médica se o idoso apresentar sintomas de confusão mental e calafrios, ou dificuldades respiratórias.

8. Busque realizar atividades em locais fechados, como passear em locais como shoppings centers, pois ajuda a quebrar o ciclo da imobilidade.

9. Faça exercícios de alongamento com orientação de professores de educação física ou fisioterapeutas.

10. Faça reposição de vitamina D, pela falta de exposição ao sol orientada por nutricionistas ou médico assistente. Outras fontes de obtenção do nutriente são peixes como atum, sardinha e salmão.

11. Em locais com lareiras é importante ter cuidado com manipulação do fogo e intoxicação pelo monóxido de carbono devido a janelas fechadas.

Seja bem vindo!


Nos traga muita paz e luz para a nossa vida!

Bênçãos sejam derramadas sobre todos nós!

*soninha*

Oiêêêê


Estive ausente e peço desculpas, mas foi necessário!

*soninha*

Cinco Benefícios da Convivência Com Animais Para Idosos


Não é de hoje que os animais domésticos estão presentes nos lares de muitas famílias. E engana-se quem acha que os cachorros são os preferidos por ter a finalidade de proteger a casa. Assim como os cães, outros bichinhos têm conquistado significativamente espaço nas residências de muitas pessoas, como os gatos por serem excelentes companheiros.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de estimação (Abinpet), os cães apresentam cerca de 35,7 milhões nos domicílios contra 19,8 milhões de felinos. Hoje, estima-se que 44% dos lares brasileiros possuem animais de estimação. A razão para o crescimento desse número se dá também pelo fato dos animais de estimação trazerem benefícios para a saúde física e mental do seu dono.

Para quem chegou à terceira idade e tem por consequência a solidão, seja por causa do falecimento do conjugue ou porque os filhos já estão casados, a presença de um animalzinho no dia a dia ajuda a combater o isolamento e estimula o idoso a praticar atividades físicas que são realizadas ao passear ou brincar com o pet. Veja cinco benefícios da convivência com animais para quem já está na melhor idade:

1. Estimula a interação social: os animais precisam de passeios diariamente. Sendo assim, nessas caminhadas em parques ou pela vizinhança é possível interagir com outras pessoas, conhecer novos lugares e estimular a comunicação;

2. Aumenta a disposição: normalmente, o ideal é caminhar ao menos uma hora com o seu pet. Essa atividade promove sensação de bem estar e contribui para a saúde mental, já que os estímulos recebidos ao caminhar aumentam a coordenação motora e fazem com que o cérebro responda a estímulos visuais, sonoros, táteis e olfativos;

3. Melhora o humor: ao brincar com o cachorro ou gato, as taxas de serotonina – neurotransmissor que atua regulando o bom humor, sono, apetite e alivia a dor – são elevados. Diante disso, diminuem os níveis de ansiedade, proporcionando sensação de conforto, calmaria e melhora do ânimo no idoso;

4. Previne doenças: estudos realizados em vários países apontam que os tutores de cães e gatos, nessa etapa da vida, sofrem menos de depressão, problemas relacionados à pressão sanguínea, frequência cardíaca e capacidade motora, por causa da prática de exercícios em companhia do animal;

5. Aumento da expectativa de vida: a ciência já comprovou que quem convive com eles são mais felizes, saudáveis e vivem mais. Pesquisas realizadas em pacientes que receberam alta de uma unidade coronariana apontaram que quem possuía animais em suas residências viviam mais. Isto porque a convivência com os bichos aumentava a sensação de bem estar e, por consequência, elevava a expectativa de vida.

Com todos esses benefícios, o que você está esperando para adquirir um animalzinho de estimação?

segunda-feira, junho 27

O local onde moramos pode parecer inofensivo, mas esconde armadilhas que passam despercebidas


É importante ficar atento ao ambiente doméstico, realizando mudanças e adaptações de acordo com as alterações corporais e mentais inerentes ao envelhecimento.

O local onde moramos, frequentemente motivo de orgulho e fruto de muita luta, onde conhecemos de uma forma íntima todos os detalhes, pode parecer inofensivo a primeira vista, mas esconde surpresas e armadilhas que passam despercebidos frente a olhos destreinados. 

Com o passar dos anos, nosso organismo vai se fragilizando e o equilíbrio vai diminuindo. A utilização de remédios que afetam a consciência e o aparecimento de distúrbios neurológicos podem transformar nossa percepção do ambiente doméstico. Muitas vezes esse ambiente acaba se tornando cenário de quedas e acidentes. Até quedas “da própria altura” podem causar lesões gravíssimas como a fratura de fêmur, que levam a incapacidade e até ao óbito. 

Por isso, é importante ficar atento no ambiente doméstico realizando mudanças e adaptações pensando sempre nas alterações corporais e mentais inerentes ao envelhecimento, moldando-as de acordo com as necessidades de cada indivíduo. 

Dicas:

Dez sugestões ergonômicas* em ambiente domiciliar aplicadas às pessoas da terceira idade: 
1. Procure ter sempre ambientes mais iluminados. Podendo optar, opte por lâmpadas chamadas frias ou fluorescentes, pois iluminam mais e gastam menos.

2. Os tapetes também podem funcionar como armadilhas. Eles devem ser colocados em locais onde são realmente necessários, e devem ser aderentes ao piso, evitando, assim, quedas.

3. A utilização de corre-mão ao longo de escadas e rampas também é potencialmente benéfico.

4. A questão do piso também é importante. Opte sempre por modelos que não sejam escorregadios, principalmente quando molhados. Uma ótima saída para quem tem piso com essas características e não quer trocá-lo, é utilizar lixas especiais, que devem ser coladas em seqüência, formando um caminho ao longo do quintal ou áreas externas.

5. Sempre optar por um varal com sistema de polias preso com ganchos no teto, evitando assim o movimento e a utilização excessiva e inadequada da articulação do ombro, uma articulação que freqüentemente é alvo de queixas, principalmente em mulheres acima dos 50 anos.

6. Para as pessoas que residem em casas, o sistema de fotocélula também é interessante, onde, por meio de sensores, as luzes se ascendem ao perceberem a presença de alguém se aproximando.

7. A casa deve possuir aparelhos de telefone fixo e telefones sem fio, facilitando assim a utilização do telefone em qualquer parte da casa.

8. No quarto, o interruptor deve ser localizado na cabeceira da cama.

9. Optar por portões automáticos a fim de evitar acidentes em dias de chuva e segurança no período noturno.

10. Um “amigão do peito” também pode ajudar, principalmente para as pessoas que moram sozinhas. Prefira um animal de raça pequena, comportada, inteligente e dócil, para não incomodar os vizinhos. 
Viver com Saúde é viver feliz!

sexta-feira, junho 24

terça-feira, junho 21

Musculação depois dos 60?


O exercício de força, com a supervisão de um profissional habilitado de educação física, é um dos melhores remédios para a manutenção da qualidade de vida do idoso.

envelhecimento é um processo degenerativo que acontece progressivamente. Decorrente de um estilo de vida saudável ou não, a velocidade destas alterações no organismo varia de indivíduo para indivíduo. 

A partir dos 35 anos, o organismo do homem começa a ter alguns déficits funcionais alterando a sua qualidade de vida. E, se o indivíduo for sedentário, este quadro tende a ficar pior. 

Veja alguns exemplos: 

Sistema muscular: há reduções na massa e força muscular, podendo causar limitações nas atividades rotineiras do idoso, como andar, segurar objetos e cuidar da própria higiene pessoal. 

Sistema ósseo: perda de massa óssea, que pode causar osteopenias/osteoporoses, aumentando a possibilidade de fraturas em mínimos choques. 

Sistema cardiovascular: uma pessoa não ativa tem mais chances de desenvolver doenças crônicas degenerativas, como hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, entre outras, se comparada a uma pessoa que foi mais ativa durante sua vida. 

O exercício de força, com a supervisão de um profissional habilitado de educação física, é um dos melhores remédios para a manutenção da qualidade de vida do idoso. É aí que a musculação deixa de assumir um papel de estímulo estético e passa a auxiliar, e muito, em nossa saúdefuncional, definida como a capacidade de realizar as tarefas do cotidiano. 

É muito importante lembrar que o idoso requer uma atenção especial. Por isso, antes de iniciar exercícios com pesos, é recomendável consultar um médico para atestar se você está apto a praticar exercícios físicos, bem como um nutricionista, pois a nutrição é de grande importância para quem vai iniciar esse tipo de atividade. 

Já chegou aos 60 anos e nunca fez uma atividade física? Nunca é tarde para começar. Mude seu estilo de vida. Já pratica alguma atividade? Parabéns! E não desanime, o seu corpo agradece..


sábado, junho 18

“Já pensou que o desrespeito com que você trata o idoso hoje poderá ser o desrespeito com que você será tratado amanhã?”


O comentário faz parte de um vídeo que tem por objetivo despertar a consciência das pessoas de que o desrespeito, o desprezo e falta de consideração para com a pessoa idosa também é uma forma de violência.

Quantas vezes eu vejo uma pessoa de 50, 60 anos, subindo a escada do ônibus, com 2 sacolas, e não tem ninguém para pegar e ajudar? Quantas vezes eu vejo jovens sentados, e não dão o lugar para uma senhora de idade com uma criança?” A indagação é de José Maria Pimenta, cobrador de ônibus e figurante do vídeo ‘Violência Contra a Pessoa Idosa’ (vídeo acima). 

As situações apresentadas no vídeo, produzido pelo Ministério da Educação, parte de uma série especial sobre direitos humanos, são interpretadas pelo ator Kaio César, em cenas que fazem parte – mas que devemos lutar para que não façam mais parte – do nosso cotidiano, mostrando o desrespeito, desprezo e falta de consideração com que pessoas idosas – que fizeram muito por todos nós, e ainda podem fazer – são tratadas.

Dia Mundial Contra a Violência ao Idoso 

No dia 15 de junho, vários países celebraram o Dia Mundial Contra a Violência ao Idoso, entre eles, o Brasil. O Portal Terceira Idade, eleito representante oficial no País do INPEA, organização internacional para prevenção de abusos contra idosos, realizou um debate ao vivo pelo Facebook, com diversos profissionais da área mostrando seus pontos de vista sobre o tema. 

O debate, que foi ao ar no dia 15 de junho, quarta-feira, às 13h30, foi aberto ao público, através de comentários online dos internautas (veja mais detalhes sobre o evento em ‘mais sobre o assunto’, abaixo). 

Pense nisso! 

“Você já pensou que um dia vai ficar velho também? Já pensou que o desrespeito com que você trata o idoso hoje poderá ser o desrespeito com que você será tratado amanhã? Pense nisso!”, finaliza o ator.


quinta-feira, junho 2

Velhice, pra que te quero?


Dias lindos para todos nós!




Alimentos Outonais



Ainda estamos no outono, então aproveitem os alimentos da estação, bem nutritivos e saborosos!

Abacate: rico em gorduras monoinsaturadas e fibras. Ajuda a controlar o colesterol, melhora o sistema circulatório e a pele. Contém ácido fólico, que auxilia na prevenção de efeitos congênitos (que nascem com a pessoa), e potássio, indicado para inchaços, fadiga, depressão, problemas cardíacos e derrames.

Abobrinha: encontrada de março a maio, é fonte de vitaminas do complexo B e possui poucas calorias. Contém também minerais como fósforo, cálcio e ferro.

Agrião: rico em vitamina C e iodo, importantes para a produção de colágeno, cicatrização, metabolismo, além de colaborar na manutenção de peso e emagrecimento.

Almeirão: fonte de cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A e B2. Ajuda no metabolismo, auxiliando no emagrecimento, formação de ossos e contração muscular, produção de células sanguíneas.


Banana: repleta de potássio, é importante para a contração dos músculos. A fruta protege contra doenças cardíacas, já que mantém o equilíbrio de líquidos e evita o acúmulo de placas nas artérias. É rica em fibras e, por isso, benéfica para a digestão, aliviando e restaurando o intestino após a prisão de ventre ou a diarreia. Age como antiácido, sendo indicada em casos de azia, gastrite e úlcera.

Batata-doce: é fonte de potássio e cálcio, importantes na formação de ossos, contração muscular e na diurese.

Berinjela: fonte de vitaminas e minerais, tem antocianina, fitoquímico antioxidante que preserva o organismo de doenças crônicas não transmissíveis. É um alimento pouco calórico e proporciona uma sensação de saciedade (devido o seu alto teor de fibras). É rico em proteínas, vitaminas C (poderoso antioxidante), B1 (importante para o metabolismo energético do organismo), B2 (participa na formação de hemácias). Possui também uma boa quantidade de minerais, como cálcio (formação óssea e dentária), ferro (transporte de gases no sangue) e magnésio (atua como relaxante muscular). Estudos recentes apontam que a berinjela ajuda a reduzir o colesterol.

Beterraba: a melhor época para adquiri-las é de março a maio. Sua cor vermelho-arroxeada deve-se à presença da betalaína, um corante que é importante antioxidante. Diferentemente do que muitos pensam, não é fonte de ferro (contém apenas cerca de 0,8 mg) em sua composição. Esta hortaliça contém betacaroteno (um precursor da vitamina A), B1, B2, B5, e apresenta ainda minerais como o cálcio, sódio, fósforo e o silício, que é parte integrante do colágeno; e o zinco, que juntamente com o ferro e o cobre ajuda na formação de glóbulos vermelhos.


Brócolis: começa a ficar bonito em junho. Contém grande quantidade de vitaminas C e A, ácido fólico, potássio e selênio. Também é fonte de fósforo, ferro, cálcio e fibras. Os teores de cálcio são próximos ao do espinafre, com a vantagem de serem mais digestíveis.

Caqui: é rico em fibras e vitaminas A, C, B1 e B2. Possui cálcio e ferro. A fruta é considerada um antioxidante por combater os radicais livres (relacionados ao envelhecimento precoce, a alguns cânceres, entre outras doenças).

Chuchu: fonte de potássio e vitaminas A e C, importantes na boa aparência da pele e visão. É diurético.



Coco: o valor nutritivo da fruta varia de acordo com seu estado de amadurecimento. De maneira geral, apresenta bom teor de sais minerais (potássio, sódio, fósforo e cloro) e fibras, importantes para o estímulo da atividade intestinal, além de ser diurético.

Espinafre: fonte de ferro e tem importante função no trabalho das células sanguíneas.

Figo: possui boa quantidade de magnésio, potássio, cálcio, ferro e fibras. Na fruta, destaca-se a pectina, uma fibra solúvel que ajuda a reduzir o colesterol no sangue. O consumo de figos juntamente com uma fruta cítrica ou outra fonte de vitamina C aumenta absorção de ferro pelo organismo.



Goiaba: rica em vitaminas A, B1 e C, além de possuir cálcio, fósforo, ferro e fibras insolúveis. Não contém muito açúcar, gordura e calorias. Auxilia no combate a infecções e hemorragias; fortifica os ossos, os dentes e o músculo cardíaco; melhora a cicatrização e o aspecto da pele, retardando o envelhecimento; regula o aparelho digestivo e o sistema nervoso; e dá maior resistência física. Auxilia no metabolismo de carboidratos, ajudando no emagrecimento.

Jiló: fonte de cálcio, fósforo e ferro, além de vitaminas A, B e C.

Kiwi: são encontrados facilmente de abril a setembro. É uma fruta rica em vitamina C, E e potássio. Fonte de pectina, uma fibra que ajuda a controlar o nível de açúcar e colesterol no sangue. Tem efeito laxativo. Pode-se utilizá-lo como amaciante de carnes, por sua acidez.

Laranja: rica em vitamina C, cálcio, fósforo e ferro. Melhora a imunidade e apresenta vários antioxidantes, que ajudam a reduzir o colesterol, as inflamações e a bloquear as células cancerígenas. Contém fibras que auxiliam na diminuição dos problemas intestinais, além de dar energia. Também auxilia na produção de colágeno da pele.


Limão: rico em flavonoides cítricos, como a vitamina C, tem importante função antioxidante (combate os radicais livres, relacionados ao envelhecimento precoce e alguns cânceres). Apresenta alto teor de sais minerais. Fortalece a imunidade, ajuda na cicatrização de feridas e fortifica as paredes dos capilares sanguíneos. Por ser antisséptico, é usado para tratar infecções respiratórias. A capacidade de extrair e dissolver ajuda no tratamento de furúnculos e abscessos. Estimula o fígado e pode ser usado como desintoxicante quando ingerido com água. Importante também na produção de colágeno, proporcionando rigidez à pele.

Maçã: contém vitaminas B1, B2 e niacina, além de minerais como ferro e fósforo. É rica em pectina, que se liga a toxinas e ao colesterol, expelindo-os do organismo; e em ácido málico, que ajuda o corpo a gastar energia de forma eficiente. A fruta contém quercetina, antiinflamatório que diminui o risco de problemas cardiovasculares. Estimula o fígado e os rins.

Mamão: a fruta é rica em propriedades terapêuticas e possui benefícios à saúde devido à enzima papaína, encontrada em maior quantidade no fruto verde. Tem um importante papel no bom funcionamento do aparelho digestivo e está associada como um acelerador do processo de cicatrização, muito utilizado em tratamentos de úlceras. É excelente fonte de vários sais minerais como cálcio, ferro, sódio, potássio e fósforo, que auxiliam na construção dos músculos e no crescimento do corpo, no combate à anemia, na formação de ossos e dentes. Contém grandes quantidades de vitaminas A e C e fibras. Age ainda como antiinflamatório e combate várias doenças como a diabete, úlcera péptica e gota, e ainda ajuda na prevenção contra o câncer.


Maracujá: possui alto valor nutritivo. Rica em vitamina C e vitaminas do complexo B (B2 e B5), a fruta contém também quantidades razoáveis de sais minerais como ferro, cálcio e fósforo. Funciona como um calmante suave. As suas sementes são poderosos vermífugos. A vitamina C dá resistência aos vasos sanguíneos, evita a fragilidade dos ossos e má formação dos dentes, age contra infecções e ajuda a cicatrizar os ferimentos. As vitaminas do complexo B têm como função evitar problemas de pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso, além de serem essenciais ao crescimento e evitarem a queda dos cabelos. Cálcio e fósforo são os minerais que participam da formação de ossos e dentes, da constituição muscular e da transmissão normal dos impulsos nervosos. Já o ferro contribui para a boa formação do sangue.

Melancia: contém alto teor de água, o que ajuda na hidratação. Apresenta vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, potássio, fósforo e ferro. Tem propriedades diuréticas e ainda ajuda na produção de células sanguíneas, formação de ossos e atua no metabolismo de carboidratos, auxiliando no emagrecimento.


Nabo: encontrado de março a maio é fonte de fibras com poucas calorias. Apresenta vitamina C, cálcio e potássio. As folhas de nabo, que muitos jogam fora, são mais nutritivas que as raízes. Uma xícara de folhas cozidas fornece 40 mg de vitamina C, aproximadamente 200 mg de cálcio e quase 300 mg de potássio. Além disso, ao contrário das raízes, as folhas são uma excelente fonte de betacaroteno, um antioxidante que o organismo transforma em vitamina A.

Pera: rica em vitaminas A, B1, B2 e C, sódio, potássio, cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, silício e ferro, niacina, sódio e fibras. Pode ser utilizada para prisão de ventre, inflamação intestinal e na bexiga, além de auxiliar o sistema nervoso e na formação dos ossos e dentes. Atua também no metabolismo de carboidratos, auxiliando no emagrecimento.

Repolho: fonte de antocianinas, vitamina A e C. Auxilia no emagrecimento, produção de hormônio, cicatrizante, bom para reumatismo, previne câncer, antioxidante, estimula o sistema imunológico. A melhor época para comprá-lo é de março a abril. Trata-se ainda de um alimento pouco calórico e rico em fibras.


Rúcula: tem grande quantidade de vitaminas C (é responsável pela redução do risco de câncer e ataques cardíacos e aumento da resistência a viroses) e vitamina A. Dentre os minerais, podemos destacar o potássio e o ferro, e por isso auxilia na prevenção da anemia. Exerce também uma função especial sobre o funcionamento dos intestinos, atuando como antiinflamatório.

Tangerina: fonte de vitaminas A, B e C, e em menor grau, de sais minerais como cálcio, potássio, sódio, fósforo e ferro. A vitamina C, junto com o cálcio e o fósforo, são essenciais para o desenvolvimento de dentes e ossos, e para a vitalidade dos vasos sanguíneos. A vitamina C também ajuda a combater infecções, a aumentar a resistência do organismo e a absorver o ferro de outros alimentos.

Novos idosos, velhos desafios - Caminhos da Reportagem


Muita paz!

Paz!